Outros Papos


 

ANIMÊ DE HORROR

Quando os japoneses inventam de criar animês sanguinários!

 

OBS: Esta atualização terá cenas fortes de animês de terror, então, prossiga com cautela e, se não gostar do gênero, termine de ler por aqui! Obrigado!

 

O blog só me dá o espaço para escrever uma página e meia, então, vou ter que resumir direitinho essa atualização. Se precisar, eu uso duas atualizações, embora isso quebre o ritmo de leitura (e eu não gosto). Não vou entrar no mérito histórico e tentar procurar o primeiro animê de terror lançado. Como a maioria dos animês são inspirados em mangás e os mangás, segundo meu estudo (que pode ser comprado aqui), são advindos de pergaminhos budistas, como o Chojugiga, então, histórias sobrenaturais e de terror são muito antigas na cultura japonesa.  Quando tratamos de enredos de animês, esqueçam o arquétipo de heróis e vilões de histórias de ação. Aqui a coisa é totalmente diferente. Vamos a um resumo de alguns enredos que são facilmente achados em animês de terror.

 

1.0-       Herói? Geralmente o protagonista de muitas séries é tão ruim quanto a ameaça que ele deve eliminar. Ah, e vampiros são sensação nesse quesito, pois temos aqui muitos exemplos: Hellsing, Blood (movie), Vampire Hunter D, Vampire Princess Miyu, Lenda Lunar Tsukihime e muitos outros. Apesar de serem tão violentos quanto os vilões, os protagonistas aqui terão momentos de dignidade que os diferirão das ameaças que eles enfrentam.



 

2.0-       Se o vilão for o protagonista, raramente alguém sobreviverá. Não importa se ele é uma pessoa “normal”, isto é, sem poderes, ou se ele é um louco com poderes sobrenaturais, fatalmente teremos inúmeras mortes em decorrência da ação (o olhar do autor) estar voltada para ele. Vou polemizar e colocar aqui um vídeo de um personagem que eu considero um vilão, mas muitos consideram um herói.



 

 

3.0-       Se o enredo estiver voltado para uma catástrofe, como uma horda de zumbies que se levanta contra uma cidade, ou um grupo de pessoas. Muitas vezes o enredo estará centrado em uma pessoa, ou grupo, que deve sobreviver a esta catástrofe. Muitos vão morrer até que, geralmente, só sobre uma pessoa e seu par romântico (às vezes nem isso).



 

4.0-       Vingança! O roteiro pode estar centrado em um doido que quer uma vingança contra uma pessoa, ou toda uma cidade. Novamente, é alguém que foi acometido de alguma violência, no passado, e que regressara para se vingar. Não é bem um vilão, mas está longe de ser um herói também.



 

5.0-       Investigadores! Sempre tem um desavisado que começa a investigar algum crime, ou evento sobrenatural, por conta própria e acaba por envolver a ele, e outras pessoas, em uma série de situações terríveis. O clímax é assistir como ele se sai das situações. Se ele fosse dormir, ao invés de sair por aí investigando, nada disso aconteceria.



 

    Pois é, acabou o papel. Então, espero ter resumido direitinho uma grande parte de roteiros de animês de terror. Esta atualização foi dedicada ao lançamento de “The Walking Dead” em dvd e blu-ray.

 

 



Escrito por Patrick Raymundo às 20h47
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




POEMAS E TEXTOS

 

 


A vida em si não tem um desfecho, mas uma constante evolução. Vivemos em nossa família, somos herança de nossa família e nossos filhos serão nossa herança. Um ciclo de ondas que não possui uma porção finita. Uma lição de que somos gotas infinitas nesse ciclo maior e que a vida nunca para. Continuaremos sempre pela herança cultural, genética e afetiva ligados a quem nos ama. Não são laços que se quebrem, pois é impossível dobrar o sangue, assim como é impossível quebrar a herança. Somos família, somos pais, filhos e irmãos. Carregamos em nós parte eterna de nossos amados. Carregamos em nós, em nossos braços, a continuidade desta vida e a passaremos adiante, confirmando que o ciclo não é finito.

 

COTIDIANO

 

O texto acima foi uma reflexão sobre um ensinamento oriental. Foi inspirado pelo seriado Usagi Drop. Um animê que realmente tocou fundo por ter ensinamentos tão óbvios e, ao mesmo tempo, tão esquecidos pelos ocidentais. Por nós. Logo abaixo, tem a página 2 do fanfic de Death Note. Como já expliquei, no facebook e no twitter, Kenshin Meru é um “deus ex machina”, e o nome dele já diz muito sobre quem ele é. Kenshin é homenagem ao anime Samurai X e, segundo um site, é significado para “modesto”. Pela interpretação do autor de Samurai X, o nome pode ser definido também como “coração da espada”. Meru é um Deus Sul-Americano, além de ser a conta central de um rosário de meditação e oração. Há mais sobre ele, mas só vou contar depois.

 

QUADRINHO

 

É duro arrancar a verdade de um atendente de call Center. Na maioria das vezes eles são tão informados quanto você. Esse quadrinho aconteceu comigo e lembra muito bem um dos primeiros quadrinhos que fiz.

 




Escrito por Patrick Raymundo às 07h54
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




 

FANFIC DEATH NOTE PÁGINA 2

NAOMI MISORA

 

 

 

A feição de Meru torna-se séria e seus olhos, determinados como os olhos de um assassino que escolhera sua próxima vítima, atraem o olhar de Naomi. Naomi percebe o olhar. Meru a toca no peito e um círculo espiritual se forma abraçando a ambos. As pessoas passam ao redor sem notar a batalha espiritual que se inicia. Para o observador, o inseto morto é prelúdio de um combate.

 

Naomi deixa de ouvir as gargalhadas de Ryuuku e, subitamente, uma luz lhe devolve a consciência. Ela se vê no abraço de Kenshin. Uma calma e uma serenidade lhe devolvem o equilíbrio. O abraço lhe dá forças e ela começa a chorar.

 

Naomi ---Ele quase me matou! --- diz ela com um choro misto de alegria e ódio.

 

Meru --- Calma! Ainda não acabei! Deve ficar neste abraço, pois eu te envolvo com minha energia. O Death Note não te atingirá. Agora vou te libertar verdadeiramente. --- o jovem rapaz afirma com confiança.

 

Kenshin projeta sua consciência e, com ela, faz o caminho inverso de Naomi Misora. Ryuuku percebe a aproximação de uma energia espiritual que possui asas negras como a dele. Os olhos de ambos se fitam.

 

Ryuuku ---Então, é você!?

 

 

Meru ---Podemos acabar com isso agora mesmo, se quiser!---Desafia o jovem rapaz.

 

Ryuuku fica em silêncio e diz em seguida --- Não, estou me divertindo muito com este rapaz. Não pretendo acabar com tudo isso agora, por causa de uma rapariga do FBI.

 

Ryuuku lhe dá as costas. Kenshin se volta para o Death Note e, com sua consciência, queima levemente o pedaço de papel. Queima o suficiente para retirar o nome de Naomi do pedaço de papel do Death Note. Com isso, sem o nome devidamente escrito no Death Note, ela está livre. 

 



Escrito por Patrick Raymundo às 07h53
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




 

Bienal do Livro de Pernambuco- 2011

Literatura e Cidadania na Veneza Brasileira

 


 

Se tem uma cidade brasileira na qual eu ponho todo o meu respeito, esta cidade é Recife. A história do Brasil passou por Pernambuco, e por Salvador, e foi ali abençoada por tão gentil povo. É difícil iniciar um texto jornalístico tentando fugir da construção do “lide”, mas a paixão por esta terra me faz querer começar a matéria do avesso e permitir que este amor que sinto extrapole as palavras e tome vida. Tentarei me controlar e iniciar o texto propriamente dito. Pois, hoje, houve a coletiva de imprensa para o lançamento da VIII Bienal do Livro de Pernambuco, que acontecerá nos dias 23 de setembro a 02 de outubro, no Centro de Convenções de Pernambuco em Olinda.

 

O tema desta Bienal é Cidadania e Literatura, pois é difícil conceber um povo cidadão sem a benção da literatura. Um dos homenageados da Bienal, o escritor Ronaldo Correia Brito, relata que o saber precisa ser transmitido. Ele complementa que não sabe por qual meio, mas que vai ser transmitido vai. Ele lembra que, antigamente, o conhecimento era transmitido de forma oral, pelo que ele chamou de “homens-biblioteca” que discursavam sobre temas e histórias. Após essa era, o saber começou a ser transmitido pela escrita, concluindo, então, que o saber vai sempre existir e que, hoje, há um consumo da escrita. Rogério Robalinho, coordenador da Bienal, inicia seu discurso de abertura dizendo que a Bienal é a grande celebração de um produto nobre- o livro. O livro ainda é o principal suporte do conhecimento.

 

E no tema “Literatura e Cidadania”, a Bienal dá exemplo de cidadania promovendo a sustentabilidade com projetos de gestão de resíduos e premiação aos expositores mais sustentáveis. Mas não para por aí, pois Wellington Melo, coordenador de conteúdo, relata que a programação foi toda pensada neste eixo entre literatura e cidadania, com 6 espaços para debates (Círculo das Letras, Café Cultural, Círculo das Ideias e os Auditórios Beberibe, Brum e Ribeira)  Confiram a programação de cada espaço clicando aqui.

 

Ronaldo Correia Brito, muito bem humorado, diz que ser homenageado é algo positivo e agradável, embora ele não saiba ao certo o que um homenageado deve fazer. Eu digo que nós é que precisamos coroar a história e o amor pelos livros deste escritor. Segundo o site da Bienal,  “Publicou os livros de contos Retratos imorais (2010), editora Alfaguara, indicado pelo jornal O Globo na lista dos Dez Melhores Livros do Ano; Livro dos Homens (2005) e Faca (2003), pela Cosac&Naify; As Noites e os Dias (1997), editora Bagaço; e Crônicas para ler na escola (2011), editora Objetiva”.

 

O outro homenageado é Mauro Mota, cujo centenário de seu nascimento se comemora este ano, e “foi secretário, redator-chefe e diretor do Diario de Pernambuco. Colaborador literário do Correio da Manhã, do Diário de Notícias e do Jornal de Letras do Rio de Janeiro. Entre 1956 e 1971, foi diretor executivo do Instituto Joaquim Nabuco de Pesquisas Sociais. Diretor do Arquivo Público de Pernambuco entre 1973 e 1983. Membro do Seminário de Tropicologia da Universidade Federal de Pernambuco e da Fundação Joaquim Nabuco. Foi membro do Conselho Estadual de Cultura de Pernambuco e do Conselho Federal de Cultura”.

 

A festa será de intensa manifestação cultural, com debates, presença de diversos autores e em Recife. A mistura perfeita para um evento literário, isto é, livros, conhecimento e praia. Espera-se para este ano o mesmo volume de visitas do evento passado- 610 mil pessoas. Vamos também?

 



Escrito por Patrick Raymundo às 22h01
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




 

O AMOR SUPERA O CASTIGO


De Masaharu Taniguchi

Ed. Seicho-no-ie 2009

 

Eu não estou bem certo se o alvo deste livro (Lifer), o personagem central do livro de Daily Starr, é fictício ou se realmente existiu. Procurei displicentemente pela internet, achei alguns livros com este personagem, mas a maioria deles foi escrito por um pastor americano, então, fico na dúvida se esse personagem realmente existiu. Depois faço uma procura decente. Mesmo assim, “Lifer” é uma versão moderna de um outro criminoso bíblico bastante conhecido e ambos tiveram suas vidas mudadas por um encontro com o Amor Máximo. Estou falando de Saulo que, após perseguir e matar cristãos, foi ele mesmo convertido pelo amor de Deus (Jesus Cristo). Lifer é o personagem de um livro do autor Daily Starr e foi alvo de profundas reflexões e textos do mestre Masaharu Taniguchi. Todos os textos foram reunidos no livro “O Amor Supera o Castigo”.  Lendo o livro, fica claro que as lições que o mestre Masaharu deixou são tão profundas, que tentar descobrir se Lifer realmente existiu torna-se fútil. O que podemos observar no livro é que a doutrina do amor independe de religião. Lifer é um criminoso que se converte na prisão e passa por diferentes situações que fortalecem sua fé e convicção. Um livro doutrinário protestante. Mas é lindo observar que Lifer é uma representação de mudança. Uma mudança que só o amor promove. Amor que é pregado por todas as manifestações religiosas éticas. Essa convergência de pensamentos pode ser descrita por trechos deste livro e do Sutra Sagrado. No livro do autor Daily Starr, Lifer assim diz “Você não deve pensar que possui a prerrogativa de salvar os outros, mas, sim, considerar a si próprio como um canal pelo qual flui o Amor de Deus e, com espírito humilde, manifestar o amor ao próximo. Com isso, quem obtém a salvação é você mesmo.” Na doutrina da Seicho-no-ie o amor é o próprio Deus e o próprio Deus, quando se manifesta, promove a mudança e tudo passa a existir. O livro “O amor supera o castigo” torna-se uma excelente lição de mudança através do amor. Fui evangélico por uma década, ou mais, mas apesar de conhecer a palavra de Deus, e de ter escrito um livro sobre ensinamentos bíblicos, que me ajudaram em problemas diários, eu não fui capaz de receber o amor que promove mudanças. E eu necessitava de mudanças em minha vida, que somente Deus poderia manifestar com a força de seu amor. Quando retornei ao Catolicismo, e comecei a estudar a filosofia da Seicho-no-ie, eu comecei a ter a mudança do Amor de Deus em minha vida. Um exemplo de mudança está no capítulo 1 de meu livro “Sob a Luz dos Ensinamentos Bíblicos” reeditado e atualizado para 2011. Por isso, meu respeito pelas palavras do mestre Masaharu e indico este livro “O Amor supera o Castigo” como leitura essencial para a mentalização e prática do Amor de Deus que promove mudanças.

 



Escrito por Patrick Raymundo às 09h51
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]


[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]


 



Meu perfil
BRASIL, Centro-Oeste, BRASILIA, Homem, de 26 a 35 anos, Portuguese, English, Cinema e vídeo, Livros, animês e mangás
Histórico
Outros sites
  Livros do Patrick- Site com links para venda de meus livros
  Bienal Internacional do Livro de Pernambuco
  Caridade Ágape
  Animê, Mangá & TV
  J BOX
  Papo de Budega
  Zine Brasil
  Gyabbo
  Literário
  Sushi Pop- Nagado
  UBE
  De Tudo um pouco. Carrie. Novo!
  Crunchyroll
  Felis Catus
  Maximum Cosmo
  Editora Otimismo
  RHS Editora
  Blog da Andi
  Literaturando- novo endereço!
  Correio Web
  Otakismo
  Rodrigo Rossi
  Anime News Network



O que é isto?